segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Minha Opinião: Comunidade Gay x Pr. Silas Malafaia

Estou o dia inteiro fugindo de posts que concordam ou discordam, defendem ou atacam, a tal entrevista do pastor Silas Malafaia para a jornalista Marília Gabriela.


Eu não sabia do programa, nem saberia se não fosse tanto "buxixo". Não assisti e não quero assistir. Eu conheço os argumentos, as justificativas, as informações. E, verdade seja dita, nem ele mudará minha opinião, nem mudarei a opinião dele.

Um amigo me disse que assistiu todo o programa, pois ter conhecimento dos argumentos é importante para combatê-los. Combater para que? O que importa é o que a lei diz. O que vale para a sociedade como um todo, inteira, é o código civil - que cobre direitos e deveres de todos nós, sem levar em consideração rótulos e definições religiosas.


O discurso dele mudou alguma lei ontem? Então não me diz respeito.

Que assistam a tal entrevista os que seguem a mesma religião e partilham das mesmas crenças. E aqueles que gostam de perder tempo em cruzadas e guerras. Uma campanha que eu não vou comprar. Não vou perder meu tempo tentando mudar a cabeça de quem pensa da mesma forma. Assim como não os quero tentando mudar minha opinião.

Se quero que respeitem minha posição, tenho que respeitar a deles. Contanto que não me levantem a mão, nem me prejudiquem diretamente, as verdades ou baboseiras que eles pregam (depende do ponto de vista) não me dizem respeito. Não me interessam.

E, sinceramente, se toda energia empregada em perseguir o outro, isso de ambos os lados, fosse empregado em trabalho social, não haveria mais fome nesse planeta.

Coisa chata: um vai para a televisão e diz que é pecado, que vão acabar todos no inferno, e ofende centenas de pessoas. O outro vai para televisão, rasga uma Bíblia  um livro sagrado e respeitado em todo mundo, dizendo que não passa de um livro velho, e ofende mais centenas de pessoas.


Termino essa súplica reafirmando algo que digo sempre: direitos e deveres civis são para todos os indivíduos de uma mesma sociedade, independente de escolhas pessoais. Por isso, deve atender aos anseios de todos, de forma laica.

Dogmas e crenças religiosas dizem respeito as pessoas que abraçam tal religião, e não a toda uma sociedade.

E não importa o quanto você acredite em sua religião. Não importa o quanto a sua Fé lhe diga que seu caminho é o único, que é o caminho da salvação. Por mais verdade que isso seja ao seu coração, você não tem o direito de impôr suas crenças aos outros. Você concordando ou não, a religião ainda é uma escolha pessoal. Seja qual for.

Nenhum comentário: