domingo, 20 de janeiro de 2008

.: Dezembro de 2004 - Recordações :.

Para Owen

"... Pensei que poderia, mas não posso fazer isso. Não posso salvá-lo, amigo. Descobri que não posso salvar nem a mim. Pensei que fosse o correto, e estivesse certo sobre tudo a seu respeito. Como prova disso, minha mente vã vangloriava-se de conhecer bem todos nós. Mas descobri que não sou como a pedra que sai ilesa a tantas ofensas... Descobri que sou o lago! Minhas águas suportam qualquer forma e fôrma, por mais tempo que levem conseguem sobreviver a qualquer turbilhão... Mas isso não quer dizer que saio ileso!! Ah! Caro amigo!! Não, não posso conosco. Descobri, nessa nossa longa batalha filosófica, que não sou menos dark que você. Não manifesto mais luz do que qualquer indivíduo manifesta. Sinto em dizer, me pesa confessar, nossas disputas em prol de mudanças e transformações, quando tentei te impor meu modelo de vida, me afetaram. Sim, sou como o lago... E quero pedir-te desculpas sinceras... Posto que, ao lançar em meu lago sua pedra, fez-te mais que pequeninas ondas, plantastes tal pedra em meu leito. Posso parecer o mesmo lago de águas cristalinas, mas agora tenho em mim a pedra que me lançou. Ah! Como ela faz diferença!"

Nenhum comentário: